A liberdade de escrever e registrar momentos


Desde muito pequena tenho em mim esta paixão pela escrita, sempre gostei de escrever para liberar os meus sentimentos e eternizar os momentos da vida. Sempre que alguma coisa acontecia eu corria para o quarto e registrava tudo em um dos meus vários diários. Escrever era o meu refúgio, era quando eu tinha o meu momento, onde eu poderia ser quem eu quisesse, sem julgamentos ou sem preocupações. O momento em que eu fechava meus olhos e me imaginava vivendo os sonhos mais loucos do mundo e depois, eternizava tudo no papel. Muitas das vezes enquanto escrevia uma lágrima ou outra caia, mas mesmo assim nunca deixei de eternizar e registrar todos os passos que eu percorria durante a longa estrada que chamamos de vida. Mas, com o passar dos anos resolvi que era hora de compartilhar com o mundo quem eu era, de retirar das gavetas os meus sentimentos e descobrir que eu não estava sozinha. E eu realmente não estava. Descobri novas pessoas, mas com sentimentos e historias que eu já conhecia. Descobri novos lugares, vivi novas experiências, e tudo isso graças ao amor que eu tinha pela escrita e por compartilhar os meus sentimentos. Mas, com o tempo, percebi que compartilhar já não estava sendo a minha maior inspiração e que eu já não estava mais me sentindo tão completa. Era hora de voltar, dar um passo para trás e entender melhor o que estava acontecendo. Era hora de escrever novamente para mim e guardar certas coisas na gaveta. Quando você se abre desta forma na internet, mesmo que você não tenha ainda milhões de seguidores, é importante você estar ciente das responsabilidades de escrever abertamente, e do quanto isso pode te afetar ao longo do caminho. Talvez você ainda não esteja preparada para se abrir e deixar que as pessoas vejam através de você. E isso pode afetar a sua liberdade. A sua liberdade de pensamentos. Você começa a se questionar sobre os seus sentimentos e acaba percebendo que não está sozinha, mas que ao mesmo tempo não está acompanhada, se é que me compreende. A internet é um mundo louco, onde as pessoas estão juntas, mas ao mesmo tempo separadas. E é importante você compreender isso. Escrever para mim é muito mais do que apenas jogar palavras na internet, então se eu resolvi parar por um tempo foi porque percebi que não estava sendo eu, e sim mais uma pessoa escrevendo na internet. E agora resolvi voltar. Resolvi abrir novamente minhas gavetas e o meu coração. Na verdade, sempre fui e sempre serei Escritora de Gaveta, mas desta vez muito mais certa do quanto quero compartilhar com vocês.

Não é questão de sorte, é questão de tempo


Eu sempre achei que o amor verdadeiro viria com a sorte. A sorte de cruzar a rua na hora certa e encontrar o amor da sua vida. A sorte de estar na balada e cair nos braços de um cara legal que vai te pagar uma bebida e se apaixonar por você. A sorte de encontrar uma alma gêmea, alguém sem defeitos e que amaria você por ser quem você é. Isso tudo pode acontecer, mas não é questão de sorte e sim, de tempo. O tempo certo. Não adianta você achar que tudo vai acontecer na hora em que você quiser, pois você só vai apressar o tempo que não deveria ser apressado. Deixar as coisas acontecerem naturalmente é o que falta na vida de muita gente. Inclusive na minha. Não tenha pressa de ir para a balada e cair nos braços de um cara legal, mas vá para a balada curtir com os amigos e se acontecer, ótimo. Não cruze a rua na hora certa, cruze quando sentir vontade e achar que deve ir, se tiver que ser, será. A vida é muito curta para apressarmos ainda mais os acontecimentos dela. O amor verdadeiro virá e talvez será totalmente diferente de tudo o que você imaginou, justamente por isso; por ser verdadeiro. O que é real é mais surpreendente do que tudo que imaginamos. E você verá que isso sim é sorte. Sorte é encontrar alguém que talvez passou a vida toda ao seu lado e por tantas vezes cruzou o seu caminho, mas você não percebeu. Sorte é encontrar alguém que vai te pagar uma bebida e se apaixonar por você no tempo certo, sem pressa. Sorte é encontrar alguém que vai olhar nos seus olhos e admirar o seu sorriso. Sorte é esperar o tempo que for para estar ao lado de alguém que vai aquecer o seu coração. E por fim, você vai perceber que não era questão de sorte, mas tudo foi questão de tempo. O seu tempo, o tempo da sua vida. Apenas viva, viva de uma forma que consiga compreender o tempo e assim, vai aproveitar muito mais os momentos. Os seus momentos. O seu tempo.

Um mundo tão cheio de sentimentos vazios


Passei muitos dias pensando: "Onde foi que eu errei?", "O que eu poderia ter feito para que fosse diferente?", "Será que o problema sou eu?". Mas, calma. O problema não era eu. Não sou eu. Não haveria nada que eu pudesse fazer para que fosse diferente. Simplesmente, deveria ser como foi. Sem os erros, não há aprendizados. Sem aprendizados, não há sabedoria; e por mais clichê que isso pareça, é a verdade. Toda história precisa de um começo, um meio e um fim. O problema é que às vezes o fim chega antes do esperado. Ficamos presos em uma história que gostaríamos de continuar lendo, mas talvez o livro tenha terminado e você só voltou ao começo para ler novamente as páginas que mais gostou, mas a história é a mesma. E ao invés de ler novamente, esquecemos de quantos livros existem por aí esperando para serem lidos e o melhor, vividos. Tantas histórias te esperam, tantos momentos que você ainda não viveu por estar presa em um livro antigo. Talvez o erro esteja nas pessoas que não sabem o quanto o amor é lindo e poderoso, e no quanto ele muda nossas vidas se o permitirmos. Talvez o erro esteja nas pessoas rasas neste mundo tão cheio de sentimentos vazios. Nos culpamos tanto por coisas que não estavam ao nosso alcance e isso se torna tão desgastante com o passar do tempo que nos esquecemos que a culpa não é nossa e passamos a acreditar que talvez tudo poderia ser diferente. Mas, talvez não poderia. Não são os erros que nos fazem pessoas melhores, mas sim a correção dos erros. O tempo que passamos refletindo e aprendendo. A culpa é um sentimento que nos faz refletir. Dói, mas são as maiores dores que criam os maiores seres humanos. Escreva novamente a sua história e escreva quantas vezes forem necessárias. Crie novos livros e sem culpa erre o quanto quiser. E aprenda. Aprenda e viva os momentos mais únicos da vida. A culpa não é sua por ter sido como foi se tudo não dependia somente de você.

Meus 5 posts favoritos do Escritora de Gaveta

Resolvi selecionar os meus 5 posts favoritos aqui do blog e compartilhar com vocês novamente. Eu amo tudo que escrevo e compartilho por aqui, mas alguns deles são tão especiais que sempre volto aqui no blog para relembrar e ler novamente. ♥ São alguns momentos em que a escrita é parte essencial da minha vida e me sinto muito grata por ter com quem compartilhar esses sentimentos que antes só as gavetas conheciam. 

♥ 5 coisas que eu não gosto na blogosfera atual


Eu adoro este post e acho um dos mais legais aqui do blog, justamente por reunir tantas dicas boas para quem está começando neste mundo dos blogs. Aliás, quando comecei cometia muitos erros e este post teria sido muito útil para mim. Confira!

♥ Gaveta de Looks: 'It's Rock Baby' com Lola Bang


O mais legal em se ter um blog é conhecer pessoas incríveis e realizar parcerias com marcas e empresas que você gosta. A Lola Bang acreditou muito em meu trabalho com o blog e juntas, realizamos fotos incríveis. E logo logo teremos mais novidades!

♥ Dicas para sua leitura se tornar mais agradável

Foto: Melina Souza, blog A Series of a Serendipity.
Eu AMO ler, mas na maioria das vezes este hábito se torna um pouco difícil, então neste post reuni várias dicas de como se programar para que a sua leitura seja a melhor possível. Amo escrever posts com dicas e compartilhar aqui com vocês.

♥ Pratique o seu inglês sem sair de casa

Foto: Melina Souza, blog A Series of a Serendipity.
Estudar inglês é algo que eu adoro e adoro ainda mais quando consigo encontrar um tempo para estudar em casa. Neste post, escrevi sobre como me organizo para que os estudos em casa sejam eficazes. Um dos posts mais legais do blog, compartilhei muita dica legal!

♥ Eu escolhi Pedagogia, e agora?


Neste ano resolvi que iria trocar o meu curso na faculdade e confesso que não foi uma decisão fácil. mas depois me senti muito feliz e escrevi este post para registrar. Este com certeza é um dos posts mais emocionantes do blog e poucas pessoas sabem o quanto ele significa para mim.

E aí, gostaram dos posts selecionados? Já conferiram todos? Eu espero que sim! Agora aproveite e me conte aqui nos comentários quais os posts que vocês mais gostam aqui do blog. Espero você! ♥

Textos das Gavetas: Algumas marcas do passado

O texto de hoje foi enviado pela leitora Francy Santana que entrou em contato comigo através do e-mail do blog. Foi um prazer enorme compartilhar este texto tão lindo e cheio de sentimento. E não haveria forma melhor de voltar ao blog do que compartilhando os meus tão queridos "textos das gavetas". ♥ Se você também gosta de escrever, aproveite para compartilhar o seu texto com a gente!


Algumas marcas do passado


Sabe, tem coisas que acontecem e não sabemos de onde vieram, em que momento exato começaram a acontecer. Como aquela avalanche que com um vento leve, juntou um pouco de neve aqui, um pouco ali. Acho que foi assim com a gente. Parecia tudo tão bom, tão perfeito apesar das imperfeições. Lutamos contra tudo e todos. Afinal, era o nosso amor que falava mais alto. Prometemos enfrentar tudo de mãos dadas. Tínhamos marcas do passado, e eram até parecidas. Conseguiríamos juntos. Nem me dei conta que esse "juntos" estava a cada dia me afastando do que sempre foi importante na minha vida. Sabe... Aquela paisagem na neve, antes do vento chegar. De repente tudo mudou. Ou eu finalmente me dei conta que tudo tinha mudado. O medo de te perder foi embora, porque tive mais medo de me perder no meio da sua confusão de caráter. Agradeço a Deus por não ter me permitido ir mais longe. Por ter usado você para me ensinar tanta coisa. Obrigada por me fazer enxergar o quanto sou forte. O quanto sou cuidada por Deus. Hoje luto para tirar o gelo que se formou na porta da minha casa. Você foi embora, mas eu ainda não abri a porta para um novo alguém. Sinto que há partículas suas espalhadas em cada pessoa nova, para o meu doce azar. Tenho medo e preguiça de reconstruir tudo de novo, assumo. Mas no fundo, mesmo sem segredar a ninguém, creio que uma hora me esbarro em alguém... E assim como foi com você, uma avalanche que bagunçou um pouco, esse alguém chegará aos poucos, e no pouco ficará por muito... muito tempo.

Se você gosta de escrever e quer compartilhar com a gente aqui no blog, entre em contato através da página TEXTOS DAS GAVETAS. Estou te esperando! 

Um passo de cada vez, lembrando que passos alegres valem por três


Passos alegres guiam o meu caminho o tempo inteiro. Não gosto de deixar que más energias influenciem o meu dia e acabem me deixando triste. Sorrir é muito importante para mim e gosto que todos que estejam ao meu lado sintam isso também. Os últimos meses foram intensos. Muitas novidades e novos caminhos. Me senti adulta de verdade, realizando projetos e entendendo um pouco mais sobre a vida, principalmente a vida profissional. Sinto que agora é o momento de continuar, continuar projetos que guardei nas gavetas por um tempo. A vida nos ensina que precisamos guardar certas coisas na gaveta e que não podemos ir mais longe do que se é permitido. Permitido por nós. Precisamos entender quais são as prioridades da nossa vida, precisamos saber quando é hora de abrir a gaveta e continuar sonhando. Me sinto grata por ter essa consciência e entender que a vida é muito boa comigo, que Deus é muito bom comigo. Me sinto grata por entender os momentos que a vida me proporciona e me sinto grata por saber lidar com as gavetas da minha vida. Eu amo tudo que faço e quando isso acontece você se torna um ser humano feliz. Quando há amor, há felicidade. Quando há felicidade, há também realização. Amo ver meus sonhos, por menores que sejam, se tornando realidade. Amo quando sinto que estou no caminho certo. Amo fazer com que as pessoas compreendam este sentimento e se sintam assim também. Amo quando consigo expressar os meus sentimentos e quando percebo que não estou sozinha no mundo. O maior motivo de eu estar aqui escrevendo este texto é que eu não consigo desistir. Eu não consigo parar de sorrir lembrando das conquistas que a escrita já me proporcionou, não consigo deixar de lado essa felicidade que a escrita me proporciona. E quando há felicidade, há realização. E cá estou eu agora, rindo novamente olhando para a tela do computador. E que assim seja, sempre. Me sinto feliz por tudo, principalmente por ser a Escritora de Gaveta.